Mozambique

  • verdade.co.mz
  • 1 day ago

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para este sábado (19) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Aguaceiros acompanhados por vezes de trovoadas ou chuvas fracas a moderadas. Vento de nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu pouco nublado localmente muito nublado. Possibilidade de aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas, podendo ocorrer em regime moderado. Vento de nordeste a sueste fraco a moderado. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu pouco nublado. Vento de nordeste a noroeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas na faixa costeira. Eis as temperaturas previstas: Cidade Máx ºC Mín ºC Maputo 35 20 Xai-Xai 34 19 Inhambane 31 21 Vilankulo 29 20 Beira 29 22 Chimoio 31 18 Tete 38 26 Quelimane 31 23 Nampula 33 22 Pemba 32 23 Lichinga 30 15

  • verdade.co.mz
  • 2 days ago

Convidados pelo Governo da Frelimo, hospedados em hotéis de luxo à beira mar, sem problemas de credenciação, alimentados com camarões frescos e direito a escolta policial para abrir caminho das viaturas de luxo em que se fazem transportar as oito missões estrangeiras que observam as Eleições Gerais do passado dia 15 em Moçambique consideraram que a votação foi “ordeira”, “calma”, “satisfatória”, “pacífica” e até “transparente”. Só faltou saudarem a reeleição de Filipe Nyusi. Acatando o aviso do seu anfitrião, que através do ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, José Pacheco, deixou claro que estavam em Moçambique para “testemunhar eleições livres, justas, transparentes e credíveis”, os observadores internacionais legitimaram nesta quinta-feira (17) mais um pleito inquinado por fraudes, intimidação e assassinatos. Para a Missão de Observação da Comunidade dos Países da África Austral(SADC) “o ambiente em torno das assembleias de voto foi na generalidade pacífico, delegados de partidos e candidatos, observadores nacionais e estrangeiros estiveram presentes na maioria das assembleias de voto observadas”. A zimbabweana Oppah C.Z. Muchinguri- Kashiri disse que a SADC concluiu que “o período pré-eleitoral e a votação das eleições de 2019 foi na generalidade pacífico e conduzido de maneira ordeira”. Já a Missão de Observação da União Africana (UA) “notou melhorias na legislação e gestão eleitoral por forma a garantir que decorresse em linha dos padrões regionais e internacionais de uma eleição democrática”. “Apesar dos desafios políticos e o ambiente de segurança a votação foi no geral calma e bem administrada” avaliou o nigeriano GoodLuck Jonathan que chefiou a Missão de Observação da UA. Outro antigo chefe de Estado africano, o ganês John Dramani Mahama, que a Missão de Observação do Instituto Eleitoral para a Democracia Sustentável em África (EISA), saudou Moçambique “por conduzir eleições regularmente e o seu compromisso de manter uma paz sustentável”. “Embora o processo ainda não esteja concluído a Missão de Observação eleitoral do EISA nota que o dia da votação decorreu de forma satisfatória”, avaliou o EISA. Comissão Nacional de Eleições cumpriu “missão de organizar as eleições Presidenciais, Legislativas e Provinciais de modo transparente” A Missão de Observação da Commonwealth considerou que “o dia da votação foi largamente pacífico”. O queniano Kalonzo Musyoka, que chefiou a Missão, chamou atenção para “alguns casos onde a presença policial nas proximidades das assembleias de voto ultrapassou a barreira dos 300 metros, determinados pela lei eleitoral, mas ficamos impressionados com a confiança e entusiasmo dos membros das assembleias, na sua maioria jovens de ambos os sexos”. Na óptica da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) “o acto eleitoral do passado 15 de Outubro decorreu, na generalidade, em consonância com as práticas internacionais de referência, no respeito pelos princípios democráticos e políticos consagrados na Constituição da República de Moçambique e de acordo com o estabelecido na lei eleitoral do país”. O coordenador da Missão de Observação Eleitoral CPLP, Mário Mendão, enfatizou “o excelente trabalho desenvolvido pelas autoridades eleitorais sem prejuízo da possibilidade de aperfeiçoamento do processo”. André da Silva Neto, Chefe da Missão do Fórum Eleitoral Comunidade dos Países da África Austral (SADC-ECF), reconheceu “que a Comissão Nacional de Eleições de Moçambique cumpriu com a sua missão de organizar as eleições Presidenciais, Legislativas e Provinciais de modo transparente”. Até a Missão da União Europeia, único Parceiro de Cooperação que comparticipou nos custos das Eleições deste ano, “entende que se realizou uma votação bem organizada”, embora tenha sido “precedida por uma campanha marcada por violência, limitações as liberdades fundamentais e dúvidas sobre a qualidade do recenseamento eleitoral”, declarou o eurodeputado Sánchez Amor que chefia a equipa. Avaliação contrária têm as Organizações da Sociedade Civil moçambicanas cujos observadores, enfrentando inimagináveis dificuldades para obterem uma simples acreditação da Comissão Nacional de Eleições, reportam inúmeras tentativas de fraude, intimidações e pelo menos dois baleamentos mortais protagonizados por agentes da Polícia da República de Moçambique. Tentativas de fraude, intimidações e pelo menos dois baleamentos mortais por agentes da polícia Uma pessoa morreu baleada e espancada pela Polícia, no Distrito de Nacala-Porto, na Província de Nampula, durante a contagem de votos, reportam nossos correspondentes. O caso deu-se na Escola Secundária São Vicente de Paulo, bairro de Ontupaia. Às 19h50 havia disparos de armas de fogo pela Polícia e a população a acender pneus, reportam nossos correspondentes. No mesmo posto, quatro pessoas foram baleadas nos membros inferiores quando a Polícia tentava dispersar as pessoas aglomeradas de acordo com o do Centro de Integridade Pública (CIP). No Distrito de Angoche, a Polícia disparou granadas de gás lacrimogéneo para dispersar dezenas de eleitores que pretendiam controlar voto na EPC de Namaripe. Após a votação, eleitores apoiantes da Renamo permaneceram perto do posto de votação. A confusão começou quando simpatizantes da Renamo suspeitaram que os presidentes de mesas das assembleias de votos estavam munidos de boletins de votos preenchidos a favor da Frelimo. A Polícia não permitiu a revista dos presidentes o que gerou confusão no local. A população nas proximidades do posto de votação aproximou-se do local. Face à eminente confusão, a Polícia disparou 7 tiros ao ar e granadas de a gás lacrimogéneo para dispersar a multidão aglomerada. Ainda neste distrito costeiro da Província de Nampula um cidadãos foi baleado mortalmente alegadamente após ter-se apoderado de uma arma das mãos de um agente da Lei e Ordem. No local, três salas de aulas foram incendiadas pela Polícia. Não houve desaparecimento de urnas. Já na EPC Eduardo Mondlane um membro da Frelimo foi espancado por simpatizantes da Renamo por ter sido encontrado com uma faca e uma catana no interior do posto de votação. Na Ilha de Moçambique, especificamente no Gulamo, a Polícia disparou três tiros para o ar por volta das 19h00 para dispersar a população que se amotinou no local para assistir a contagem. Na Província da Zambézia, no Distrito de Namacurra, alguns simpatizantes da Renamo não abandonaram o recinto de votação na Escola Primária Saciana e não havia disparos da Polícia ainda. No Distrito de Morrumbala, três agentes da Unidade de Intervenção Rápida (UIR), quatro agentes da Polícia de Proteção e seis militares das Forças Armadas de Defesa de Moçambique, todos altamente armados, impedindo a população de aproximar-se da EPC de Sabe, onde decorria a contagem de votos. O CIP apurou neste Distrito da Província da Zambézia evidências que o partido Frelimo distribuiu dinheiro a Membros das Mesas de Voto na véspera do dia da votação. Presidentes das assembleias de voto terão recebido envelopes com 20 mil Meticais na Administração distrital para distribuírem pelos integrantes das mesas. No distrito de Derre, o presidente de uma mesa de voto invalidou votos do candidato da Renamo, colocando tinta indelével com o dedo polegar em cada boletim com voto válido para a Renamo. O caso registou-se na Escola Primária de Guerissa. Na Província de Sofala, no Distrito de Dondo, o presidente da assembleia de voto número 08, na EPC Samora Machel, foi agredido por um membro da mesa indicado pelo MDM. O MMV do MDM teria notado suposta movimentação de mochilas no interior da mesa de voto. Informado sobre o assunto, o presidente não quis colaborar, o que originou uma confusão. A Polícia foi chamada a intervir para repor a ordem. Na Província de Manica, no Distrito de Sussundenga a Polícia expulsou eleitores das proximidades do posto de votação da EPC de Munhinga. Era simpatizantes do MDM e da Renamo que depois de votar decidiram permanecer no local para evitar enchimento de urnas. Na Cidade de Chimoio, um cidadão foi detido por fazer campanha pela Frelimo durante a votação. O caso deu-se na Escola Secundária Eduardo Mondlane. Ainda em Chimoio foi detido um delegado de candidatura da Renamo na Escola Secundária 7 de Abril acusado de fazer campanha durante a votação.

  • verdade.co.mz
  • 2 days ago

A moeda moçambicana parece ter reagido mal as Eleições Gerais do passado dia 15, tendo agravado a sua depreciação em relação aos principais dividas. O Metical que em Junho apreciou-se para 61,75 em relação ao dólar norte-americano e 4,18 relativamente ao rand sul-africano foi transaccionado nesta quinta-feira (17) a 62,89 por dólar e 4,24 por rand. Desde o ano passado que o Banco de Moçambique coloca entre os riscos internos que influenciam as suas decisões de Política Monetária o Acordo Paz, assinado em Agosto, e as eleições Presidenciais, Legislativas e Provinciais do passado dia 15. Com a inflação controlada o mercado cambial, que oficialmente passou a ser regulado pelo mercado, é o espelho mais actualizado das expectativas do sector produtivo e particularmente financeiro da Economia. No final do 2º trimestre a moeda nacional apreciou-se substancialmente depois de em Abril ter sido cotado a 64,63 por dólar e 4,60 por rand, a 18 de Junho foi transaccionado a 61,75 em relação ao dólar norte-americano e 4,18 relativamente ao rand sul-africano. Desde então boas perspectivas animaram a economia moçambicana, foi tomada uma importante decisão de investimento num dos projectos de gás natural da Bacia do Rovuma, os apoios para a reconstrução pós ciclones Idai e Kenneth começaram a ser materializados e o Governo rubricou o terceiro Acordo de Paz com o partido Renamo. Porém o Metical inverteu a sua tendência de apreciação, quando a campanha eleitoral iniciou a cotação do dólar era de 61,92 e do rand 4,06, na véspera da votação já estava nos 62,82 e 4,24 e nesta quinta-feira subiu para 62,89 por dólar e manteve-se nos 4,24 por rand. Mais do que os vencedores o expectativa eleitoral em Moçambique é sempre como irá reagir o partido Renamo a mais uma derrota. Por outro lado esta depreciação sugere que as mais-valias de 880 milhões de dólares norte-americanos, do negócio entre a Total e a Occidental Petroleum, ainda não entraram nos cofres públicos.

  • verdade.co.mz
  • 2 days ago

Catorze Bancos filiados na Associação Moçambicana de Bancos (AMB) contribuíram com um donativo de 34,5 milhões de Meticais para a reabilitação do Hospital Central da Beira gravemente afectado pelo Ciclone Idai. Este montante é quase uma esmola comparando com mais de 100 biliões que estas instituições financeiras facturaram com a crise da dívida pública de Moçambique. O Banco de Sangue, o Bloco de Imagiologia, a Psiquiatria, o Centro Ortopédico, o Banco de Socorro, a Ginecologia e os serviços administrativos da maior unidade sanitária do Centro de Moçambique foram gravemente danificados pelo Ciclone Idai que em Março massacrou a Cidade da Beira. Nesta quinta-feira (17) os bancos Millennium bim, Standard Bank, Mozabanco, Barclays, BCI, Letsengo, Bayport, Banco Único, Banco Mais, SOCGEN, My Bucks, First Capital Bank, Socremo e UBA contribuíram com um donativo de 34,5 milhões de Meticais, para a reabilitação do Hospital Central da Beira. Este montante é uma “esmola” quando comparado com os lucros bilionários que estas instituições financeiras obtiveram apenas desde que a crise económica e financeira iniciou em Moçambique. Apenas os lucros do Millennium bim, BCI e Standard Bank entre 2016 e 2018 ascende a 80 biliões de Meticais, montante equivalente a ajuda prometida pelos Parceiros de Cooperação internacional na Conferência Internacional de Doadores para a reconstrução de infra-estruturas públicas e privadas, danificadas pelos ciclones Idai e Kenneth no Centro e Norte de Moçambique. Aliás os ganhos facturados pelos bancos comerciais derivam da subida das taxas de juro e principalmente de investimentos na Dívida Pública Interna de Moçambique.

  • verdade.co.mz
  • 2 days ago

Sete dias após “um golpe de artilharia” vitorioso as Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) “assestaram (...) mais um golpe de artilharia contra um agrupamento de malfeitores que se havia refugiado no sul do posto administrativo de Miangalewa, no distrito de Mocimboa da Praia, em Cabo Delgado”. A ofensiva das FADM parece ter acossado os insurgentes que há 2 anos aterrorizam o Norte da Província de Cabo Delgado, desde o passado dia 8, quando o exercito realizou um ataque de artilharia na região de Mbau, entre os rios Messalo e Muera, no Distrito de Mocímboa da Praia, que não há registo de ataques dos “Al Shabaab” contra civis. Entretanto um comunicado do Ministério da Defesa Nacional indica que “as Forças de Defesa e Segurança assestaram, no dia 16 de Outubro, mais um golpe de artilharia contra um agrupamento de malfeitores que se havia refugiado no sul do posto administrativo de Miangalewa, no distrito de Mocimboa da Praia, em Cabo Delgado”. “Depois deste ataque os malfeitores colocaram-se em fuga, tomando diferentes direções, sendo que alguns destes, foram neutralizados em Chitolo, Mocimboa da Praia e outros na região de Nova Zambézia, em Macomia” refere ainda o comunicado recebido nesta quinta-feira (17) pelo @Verdade onde o Governo indica que “as populações continuam a regressar para suas respectivas povoações, outrora destruídas pelos malfeitores”.

  • verdade.co.mz
  • 2 days ago

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta sexta-feira (18) em Moçambique nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado localmente muito nublado. Possibilidade de aguaceiros acompanhados por vezes de trovoadas ou chuvas fracas a moderadas localmente fortes na faixa costeira. Vento de sueste a sudoeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu pouco nublado localmente muito nublado. Possibilidade de aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas, podendo ocorrer em regime moderado na província da Zambézia. Vento de sueste a leste fraco a moderado. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu pouco nublado localmente muito nublado. Vento de sueste a nordeste fraco a moderado. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 30 19 Xai-Xai 30 19 Inhambane 29 21 Vilankulo 28 21 Beira 28 22 Chimoio 29 15 Tete 35 19 Quelimane 30 21 Nampula 32 21 Pemba 28 23 Lichinga 26 13

  • verdade.co.mz
  • 3 days ago

A Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula admitiu que um civil “tentou arrancar uma arma de fogo a um agente da polícia e sem sucesso acabou sendo alvejado” mortalmente elevando para dois os óbitos no pleito desta terça-feira (15). Apesar destas mortes, dos muitos tiros que disparou para o ar, do gás lacrimogéneo que usou e das dezenas de ilícitos eleitorais que resultaram na detenção de 98 cidadãos a PRM avaliou que a votação e início da contagem de votos das Eleições Gerais decorreu “num ambiente de paz e de tranquilidade”. “Tivemos um registo (de morte) em Angoche onde um indivíduo, no processo ainda de votação, tentou arrancar uma arma de fogo a um agente da polícia e sem sucesso acabou sendo alvejado, uma vez que os outros membros da polícia tiveram que intervir para garantir que este instrumento não se mantivesse em mãos alheias”, revelou o porta-voz no Comando Provincial da PRM em Nampula, Zacarias Nacute. Entretanto a Sala da Paz, plataforma de observação eleitoral que agrega várias Organizações da Sociedade Civil moçambicana, reportou ter “constatado o baleamento mortal de uma pessoa na Escola Secundária São Vicente Paulo, em Nacala Porto”. O porta-voz da polícia na Província da Zambézia, Sidner Lonzo, disse a jornalistas terem registado “alguns tumultos, cinco ilícitos eleitorais, concretamente nos postos de Nangumele em Mocuba, Sangariveira na área jurisdicional da 3a esquadra, no Luabo dois ilícitos e Regone no distrito de Quelimane. Dois casos em Mocuba, uma cidadã de 30 anos de idade foi encontrada na posse de cinco boletins (de voto) preenchidos e tentaram introduzir numa das urnas na EPC de Nangumele. Em Sangariveira foi encontrado um indivíduo também na posse de cinco boletins de voto já preenchidos, prestes para introduzi-los nas urnas”. “Foi possível deter 26 indivíduos, 17 na Maganja da Costa estavam na assembleia de voto e tentaram perturbar a ordem colocando barricadas. Disparos aconteceram apenas no distrito de Nicoadala porque a população foi extremamente resistente e violenta, tendo em conta que usou paus e catanas, a nossa polícia efectuou alguns disparos para o ar e felizmente com isso conseguiu dispersar a população”, pormenorizou Lonzo. 98 detidos durante a votação e início do apuramento das Eleições Gerais No distrito do Lago, na província do Niassa, a polícia indicou ter detido três pessoas suspeitas de agitação durante a contagem de votos, o porta-voz da corporação, Alves Mate” explicou que “populares, após a votação, aglomeraram-se nas assembleias de voto, exigindo a contagem na sua presença”. Na Província de Tete, no Distrito de Macanga, dois simpatizantes do partido Renamo foram detidos na posse de uma arma de fogo após causarem distúrbios em algumas assembleias de voto no povoado de Catondo. “Interceptamos os dois jovens de mota, mandamos parar, quiseram empreender uma fuga mas conseguimos neutralizar e descobrimos que tinham uma pistola municiada com uma bala na camara”, esclareceu o Comandante da PRM em Macanga, António Sinalo. Ainda durante a terça-feira (15), na Província de Gaza, a PRM registou um ilícito na Cidade de Xai-Xai, “quando quatro indivíduos tentaram perturbar o decurso normal do processo no bairro 11, no Distrito do Chókwè tivemos uma caso que envolve um número mais ou menos grande, esses indivíduos tentaram falsificar documentos para poderem-se identificar como delegados de mesa e tudo mais”, declarou o Comandante provincial, Feliciano Chongo. Já o Comando da Polícia da República de Moçambique avaliou em Maputo, nesta quarta-feira (16), que “no geral o processo de votação em todo o território nacional decorreu num ambiente de paz e de tranquilidade”, no entanto sem mencionar nenhum óbito. “Tivemos alguns ilícitos na EPC da localidade de Ilha de Inharingue onde cerca de 300 membros e simpatizantes do partido Renamo vandalizaram aquela escola e tentaram sem sucesso, graças à pronta intervenção da polícia, apoderar-se de nove urnas de votos e de seguida incendiaram cinco casas de construção precária. Desses indivíduos nove foram detidos, tidos como cabecilhas daquela situação”, disse ainda o porta-voz do Comando da PRM, Orlando Modumane. Modumane precisou que na Cidade de Maputo foram registados sete ilícitos eleitorais, nas províncias de Nampula e Maputo registaram-se cinco e quatro ilícitos, respectivamente, tendo no entanto “as províncias de Gaza e Nampula registado o maior número de detidos, com 24 e 23, respectivamente”.

  • verdade.co.mz
  • 3 days ago

As raparigas nas províncias de Inhambane, Gaza, Maputo e Cidade de Maputo obtiveram, durante o ano de 2018, melhor aproveitamento escolar primário e secundário do que os rapazes. Na “Terra da boa gente” 50,1 por cento dos estudantes que passaram de classe no ensino primário no ano passado eram do sexo feminino e no ensino secundário o aproveitamento melhorou ainda mais com 56,2 por cento dos aprovados a serem raparigas. Muito melhor estiveram as meninas de Gaza que representaram 51 por cento dos que passaram nas classes primárias e 58,7 por cento foram aprovadas no ensino secundário. Na Cidade e Província de Maputo as raparigas do primário representaram pouco mais do 50 por cento dos alunos aprovados enquanto no ensino secundária a percentagem de meninas que passaram subiu para pouco mais de 56 por cento. Pior aproveitamento no ensino primário em Moçambique tiveram as meninas da Província de Sofala e nas classes do secundário as alunas da Província da Zambézia é que tiveram piores aproveitamento escolar em 2018.

  • verdade.co.mz
  • 3 days ago

O Chefe da Missão de Observação da União Europeia (UE), o eurodeputado Nacho Sánchez Amor, afirmou que a votação das sextas Eleições Presidenciais, Legislativas e terceiras Províncias decorreu “de uma forma tranquila, pacífica e ordeira”. “O dia das votações decorreu na generalidade de uma forma tranquila, pacífica e ordeira. É verdade que havia muitas filas, as pessoas perdiam um bocadinho a paciência, mas isso é uma demonstração do desejo do povo moçambicano de participar nas eleições”, afirmou Nacho Sánchez Amor após reunir nesta quarta-feira (16) com a Presidente da Assembleia da República de Moçambique. O eurodeputado, que representa o único Parceiro de Cooperação que financiou as Eleições Gerais no nosso país, disse ainda a jornalistas, sobre a contagem dos votos que “estamos numa fase muito inicial de apuramento dos dados, e só quando houver mais informação é que poderemos ter uma opinião sobre esta segunda fase e a que vai a seguir que tem a ver com os possíveis recursos judiciais”. Pelo menos um cidadão foi baleado mortalmente pela Polícia da República de Moçambique, no Distrito de Angoche, e quase uma centena de tentativas de fraude, favoráveis ao partido Frelimo, foram reportadas pelas Organizações da Sociedade Civil moçambicana que estão a observar o pleito da última terça-feira (15).

  • verdade.co.mz
  • 3 days ago

Pelo menos oito pessoas morreram em dois acidentes de viação registados desde o fim-de-semana na Província de Nampula, o sinistro mais mortal aconteceu nesta terça-feira (15) quanto uma viatura de transporte de passageiros despistou-se na vila de Namialo. O “chapa” de 15 lugares fazia o trajecto entre as cidades de Nampula e de Nacala Porto transportando 25 passageiros e muita carga quando a alta velocidade causando a morte de sete cidadãos e deixando outros 12 feridos. Ainda na Província de Nampula um cidadão perdeu a vida no Hospital Central devidos a um traumatismo crânio encefálico grave contraído durante um acidente de viação.